C.M.C. - Mulheres e a Cerveja


Olá pessoal!
Em homenagem ao nosso mês das mulheres fiz um artigo especial sobre nossa real importância na bebida dos deuses, nossa amada cerveja.
A importância da Mulher na História da Cerveja
As mulheres da Suméria
A cerca de dez mil anos na produção de cerveja, as mulheres que dominam esse campo, na Suméria antiga, entre as funções do lar, era atribuído a mulher a preparação de bebidas, enquanto os homens caçavam, a cerveja era feita por elas e serviam como fonte de alimento para toda a família. As cervejas produzidas pelas sumerianas também eram usadas em cerimônias religiosas. Essas cervejeiras eram muito respeitadas, também vistas como sacerdotisas da deusa da cerveja, Ninkasi.

A história da Deusa Ninkasi
Ninkasi,fruto de uma relação entre irmãos, pois antigamente não era considerado incesto relações entre irmãos. Seu pai, Enki, era o Deus das águas doces e sua mãe Ninti, ou Ninhursag, que era a Deusa dos Relevos e a Deusa-Mãe do Pantheon sumério.
Ela também é uma das oito crianças criadas para curar uma das oito feridas que Enki sofreu, mas isso é outra história, voltando para história da bebida abençoada pela deusa, ela nasceu da água doce brilhante”, foi feita para “satisfazer o desejoesaciar o coração”. Três itens bem significantes para cerveja, água boa, desejo e satisfação. Ela preparava bebida todos os dias para os outros deuses.
Por volta de 1800 a.C., foi escrita a receita mais antiga da cerveja em forma de música, uma reverência a deusa no Hymn to Ninkasi (Hino à Ninkasi):
Nascida de água corrente,
Ternamente cuidada pela Ninhursag,
Nascida de água corrente,
Ternamente cuidada pela Ninhursag,
Tendo fundado sua cidade pelo lago sagrado,
Ela terminou suas grandes paredes para você,
Ninkasi, fundando sua cidade pelo lago sagrado,
Ela terminou de suas paredes para você,
Seu pai é Enki, Senhor Nidimmud,
Sua mãe é Ninti, a rainha do lago sagrado.
Ninkasi, seu pai é Enki, Senhor Nidimmud,
Sua mãe é Ninti, a rainha do lago sagrado.
Você é a única que lida com a massa [e] com uma pá grande,
Misturando em uma caldeira, o bappir (pão sumério) com aromas doces,
Ninkasi, você é a única que lida com a massa [e] com uma pá grande,
Misturando em uma caldeira, o bappir com mel,
Você é a única que assa o bappir no forno grande,
Coloca em ordem as pilhas de grãos descascados,
Ninkasi, você é a única que assa o bappir no forno grande,
Coloca em ordem as pilhas de grãos descascados,
Você é a única que rega o conjunto de malte no chão,
Os cães nobres manteem-se longe até mesmo os potentados,
Ninkasi, você é a única que rega o conjunto de malte no chão,
Os cães nobres manteem-se longe até mesmo os potentados,
Você é a único que embebe o malte em um frasco,
As ondas sobem, as ondas de caem.
Ninkasi, você é a única que embebe o malte em um frasco,
As ondas sobem, as ondas de caem.·.
Você é a única que se espalha no mosto cozido em esteiras de junco grandes,
Frieza supera,
Ninkasi, você é a pessoa que espalha o mosto cozido em esteiras de junco grandes,
Frieza supera,
Você é a única que mantém com as duas mãos o mosto grande doce,
Brassando [ele] com mel [e] vinho
(Você, o doce mosto da caldeira)
Ninkasi, (…) (Você, o doce mosto da caldeira)
A cuba de filtragem, que faz um som agradável,
Você coloca adequadamente em uma cuba coletora grande.
Ninkasi, a cuba de filtragem, que faz um som agradável,
Você coloca adequadamente em uma cuba coletora grande.
Quando você despeja a cerveja filtrada do barril coletor,
É [como] o encontro do Tigre e Eufrates.
Ninkasi, você é o único que derrama a cerveja filtrada do barril coletor,
É [como] o encontro do Tigre e Eufrates.


As mulheres egípcias
A fabricação de cervejas também era feita por mulheres nas casas egípcias. Mas com o aumento das “fábricas de cerveja” no Egito, os homens as se tornaram os produtores e as mulheres passaram a fazer tarefas secundárias.
As mulheres germânicas
Elas fabricavam cervejarias nas florestas com intuito de evitar a invasão dos romanos às “alewives” (inglesas que até a Revolução Industrial, mantiveram suas tradições), alimentavam sua família com cervejas de baixo teor alcoólico, que eram mais potáveis do que a água e  ricas em nutrientes.
Algumas mulheres eram cervejeiras empreendedoras e produziam mais do que suas famílias precisavam, mas acabavam vendendo o que excedia por muito pouco. As mulheres solteiras cervejeiras eram abrigadas por conventos alemães.
Na Guerra dos Cem Anos entre Inglaterra e França (1337 a 1453), os soldados consumiam muita cerveja. E as cervejeiras de casa não conseguiam corresponder à demanda. Era chegada à hora de produzir cerveja em fábricas, mas as mulheres não costumavam trabalhar fora da casa, e não tinham permissão para possuir sua própria propriedade.  Com essas varias dificuldades vieram às leis, como a Reinheitsgebot e a Lei e o Comércio e manteve as mulheres afastadas da fabricação de suas cervejas.
  

Hoje em dia infelizmente, ainda é grande a diferença entre homens e mulheres que atuam na área. Mas ainda sim, muitas mulheres se destacam neste segmento e fazem um trabalho sensacional, temos como exemplo a proprietária da cervejaria Dádiva, Luiza Tolosa e uma das fundadoras do coletivo ELA (Empoderar, Libertar, Agir), que tem como objetivo discutir as dificuldades que mulheres passam nesse setor.
 Luiza Tolosa

 "Dê-me uma mulher que ame a cerveja e eu conquistarei o mundo." 
Kaiser Wilhelm



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Comentários

Postagens mais vistas

Dicas de filmes sobre empreendedorismo – Parte II

ROCKFEST, o verdadeiro festival de Rock ‘N’ Roll!

M.G.: Marvel's Avengers - Novo Game da Square Enix

FILMES: VENTOS DA LIBERDADE

Unboxing E.L.A.N.E. #01