EVENTO: Campus Party 2019 a 12° edição

20/02/2019
REDATOR: EDDIE



Ola galera, participamos da Campus Party 2019 a 12° edição. A Campus Party é a maior imersão tecnológica em Internet das Coisas, Blockchain, Cultura Maker, Educação e Empreendedorismo do mundo. O evento conta hoje com mais de 550 mil campuseiros cadastrados em todo mundo, e já produziu edições em países como Espanha, Holanda, México, Alemanha, Reino Unido, Argentina, Panamá, El Salvador, Costa Rica, Colômbia, Equador, Itália e Cingapura. O evento está presente no Brasil há mais de dez anos.

- Público presente em 2019: 130 mil pessoas
- Total de campuseiros: 12.500, sendo 8.000 acampados
Barracas: sendo 5 mil simples e 1.500 duplas
- Atividades: Mais de 1000 horas de conteúdo / Mais de 900 palestrantes / Cerca de 231 workshops

- Produção e Tecnologia:
Velocidade da internet – 40 GBps
Envolvidos na organização – mais de 3.000 pessoas


A décima segunda edição da Campus Party Brasil,  maior imersão tecnológica em Internet das Coisas, Blockchain, Cultura Maker, Educação e Empreendedorismo do mundo, chega ao final depois de mais de mil horas de atividades, ostentando grandes resultados: doze mil campuseiros, sendo 8 mil acampados, e mais de 130 mil pessoas presentes na Open Campus, o espaço gratuito do evento, nos seus cinco dias de funcionamento.

Realizada pela primeira vez no Expo Center Norte, a #CPBR12 contou com mais de 900 palestrantes, oito palcos – Feel The Future, Makers, Coders, Entertainment/Games, Creativity, Entrepreneurship, STEAM (do inglês, Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática) e Startups; duas Academias – Gamers e Creators; e oito espaços para workshops – BlockChain, IoT, VisaGeek, PodCast, Big Data & Machine Learning, DevOps, Biohacking/Cyborg e Virtual Reality & Augmented Reality. Grandes referências de diversas áreas de conhecimento se apresentaram no evento: Ivair Gontijo, Poppy Crum, Ricardo Cappra, Joana Félix, Jake Yocom-Piatt, Jovem Nerd, Chris Moriarity, Bia Granja, Matt Pat, Frank Karlitscheck, Uri Levine, Mauricio de Sousa, Venkat Subramaniam, entre outros.

Já os visitantes da Open Campus, área aberta e gratuita que funcionou entre 13 e 15 de fevereiro, puderam ter acesso a uma série de atividades, como palestras com foco na Educação do Futuro, projetos culturais ligados à área de tecnologia e robótica, interação com diversos simuladores de realidade virtual, emocionantes atrações na Arena de Drones e  vibrantes partidas na Arena Gamer, além de conhecer protótipos de trabalhos acadêmicos e startups com ideias inovadoras. Uma das principais novidades desse ano, a Campus Music, espaço destinado a apresentações de bandas formadas pelos próprios campuseiros, emocionou o público e acabou consagrando como performance vencedora a do Codinome Winchester, grupo que se apresentou no palco principal na cerimônia de encerramento.

“Neste ano, nossa proposta principal foi oferecer ao campuseiro a oportunidade de absorver e colocar em prática todo o conhecimento adquirido. Construímos esse evento em parceria com o público, que nos ajudou a pensar em nomes e atrações que contemplassem os mais diversos gostos e interesses. Saímos imensamente satisfeitos por termos conseguido ser uma plataforma de compartilhamento de ideias e de formação e consolidação de comunidades que, certamente, ajudarão a repensar e moldar o nosso futuro enquanto sociedade. Acreditamos que a Campus Party não termina no fechamento dos portões, ao contrário, ela ganha o mundo”, explica Tonico Novaes, diretor da MCI Brasil e responsável pela Campus Party Brasil.


Edição Sustentável

A campanha criada pela Campus Party, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTIC), culminou na arrecadação de mais de 20 toneladas de resíduos eletrônicos, tais como monitores, CPUs, impressoras, teclados, aparelhos celulares e de ar condicionado, caixas de som, notebooks e outros acessórios de informática.

Todos os resíduos arrecadados serão levados para os Centros de Recondicionamento de Computadores do MCTIC e, posteriormente, doados a pontos de inclusão digital, como bibliotecas, escolas públicas e telecentros espalhados em todo o território nacional.


Campus Summit

Outro destaque da #CPBR12 foi o Campus Summit, espaço que permitiu, pela primeira vez, a troca de informações e conhecimentos entre executivos e os campuseiros. O espaço abrigou dois eventos diferentes: a 7ª edição do Latin America Meetings & Events Conference (LAMEC), cujo tema foi “Humano como sempre, tecnológico como nunca”, e o Cybersec e LGDP, com foco na experiência de empresas, empreendedores e cientistas.

“A experiência de reunir profissionais do mercado e jovens que buscam  seu espaço para debater e trocar experiências em áreas do conhecimento como
Open Innovation, Cyber Security, Data Protection and Privacy, Blockchain e Artificial Intelligence foi bastante enriquecedora e, certamente, resultará em ganhos para todos”, comenta Ney Neto, director de inovação da MCI e da Campus Party Brasil.

Campus Jobs

Esse novo espaço ofereceu ao público presente na área Open palestras e outras atividades relacionadas à formação profissional, além da possibilidade de participar de processos seletivos que resultaram, inclusive, em contratação efetiva. “Nosso objetivo foi o de oferecer subsídios para orientar a carreira, não apenas daqueles que já alimentam o desejo de empreender na área de inovação, mas principalmente daqueles que buscam se desenvolver”, conta Barbara Duran, diretora de RH da MCI.

Educação para o Futuro

Debater os novos caminhos da educação e construir com todos uma nova forma de se olhar para a formação das crianças e adolescentes. Essa é a premissa do espaço Educação para o Futuro, uma das áreas mais visitadas na Open Campus. O projeto, que conta com a parceria da Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa, que representa o Laboratório Lifelong Kindergarten do MIT Media Lab no Brasil, contou com uma arena com palestras e oficinas de pesquisadores e educadores, além da exposição de equipamentos de experiência científica, em parceria com o Museu Catavento. Já o espaço RobotiCampus, em parceria com o Centro Paula Souza, abrigou modalidades de competição robótica e workshops. Na área Maker, aconteceram oficinas de Franzininho, Arduíno, e também o primeiro encontro da Rede FabLab Brasil. 

Pela primeira vez na Campus Party, o F1 in School, projeto educacional que reúne atividades de aprendizagem ativa e empreendedorismo no ambiente da Fórmula 1, sucesso pelo mundo há 15 anos, e operado no Brasil pela Associação Projetando o Futuro, foi um sucesso de audiência.


1º Fórum Brasileiro de Empreendedorismo Social e Periférico

Através de workshops, palestras e rodas de conversa, o Fórum apresentou iniciativas reais e de sucesso que acontecem no Brasil e no mundo, a partir de cinco grandes pilares: Empreendedorismo Popular, Potenciais Periféricos, Tecnologias de Impacto, Inclusão Social e Diversidade.

Os participantes participaram da elaboração coletiva de um manifesto, que será entregue às autoridades. O documento final ratifica ‘o vácuo de conhecimento e de formação no campo da educação, que não é preenchido desde o ensino básico até o superior’. Ainda segundo o manifesto, ‘o empreendedorismo social precisa carregar dentro de si e de seus produtos e serviços seu caráter ativista e transformador, a fim de que o negócio impacte positivamente a sociedade e ajude a romper barreiras de preconceito e discriminação’.

“A criação de espaços como esse Fórum é importante para a promoção de um ‘hub do bem’, que permita interações e troca de conhecimentos em torno da urgência do fomento ao empreendedorismo social e, consequentemente, o estímulo à produção de ações e iniciativas que despertem esperança nas periferias quanto à possibilidade de mudança de sua realidade e história”, afirma Francesco Farruggia, presidente do Fórum e do Instituto Campus Party
  

Startups e Projetos Universitários

Os visitantes do evento puderam conhecer 120 startups que participaram do programa Startup & Makers, cujo objetivo é impulsionar e capacitar jovens talentos e empreendedores. As startups Print Green 3D, Smart Capacete e Verifact se destacaram na categoria earlystage; e as startups Desquebre, Keepz e Cuboz se destacaram na categoria growthstage. Entre os 41 projetos universitários e acadêmicos apresentados no espaço Campus Future, os destaques foram: MinervaBots, Polimex e Ex Machina Prótese Mioelétrica.

Outro fator importante para o sucesso dessa edição da Campus Party foi a visita de autoridades e dezenas de comitivas que vieram de várias partes do país prestigiar o evento. Destaque para a presença do Ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Pontes; o prefeito de São Paulo, Bruno Covas; o prefeito de Natal, Álvaro Costa Dias; o secretário de Inovação e Tecnologia da cidade de São Paulo, Daniel Annenberg; e o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal, Gilvan Máximo.

Para mais informação:
Informações para a Imprensa
Virta Comunicação Corporativa
Fernanda Arantes – fernanda.arantes@virta.inf.br
Paulo Moura – paulo.moura@virta.inf.br
Samantha Oliveira – samantha.oliveira@virta.inf.br
Giovanna Luna – giovanna.luna@virta.inf.br

Continuem nos seguindo nas nossas redes sociais, para ficarem por dentro dos eventos.










Comentários

Postagens mais vistas

Dicas de filmes sobre empreendedorismo – Parte II

ROCKFEST, o verdadeiro festival de Rock ‘N’ Roll!

M.G.: Marvel's Avengers - Novo Game da Square Enix

FILMES: VENTOS DA LIBERDADE

Unboxing E.L.A.N.E. #01