O mercado de confecção: Como ele está?



Olá internautas e seguidores do Blog da E.L.A.N.E, tudo bem com vocês?

Hoje vamos falar um pouco sobre o segmento de confecção e como anda seu posicionamento na atual conjuntura econômica do Brasil.

“Para a ABIT (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção), após um período de recessão, o ano de 2017 demonstra alguns sinais de recuperação do setor. Os dados sinalizam aumento na produção de vestuário de (+) 1%, contra uma redução (-) 6,7% em 2016. O mesmo é indicado para a produção de têxteis de mais (+) 1%, contra uma queda (-) 5,3%, no mesmo período. Em relação ao faturamento, há uma previsão de um aumento de (+) 4,6%, em relação ao período de 2016” (Google - 20/05/17).

Observamos também, que o Governo está aplicando uma política diferenciada de micro crédito para essas micro empresas, isto tudo para alavancar o crescimento do setor no Brasil.
Por essas razões, caros leitores e empreendedores; é extremamente importante realizar um bom planejamento antes de abrir a sua empresa e principalmente fazer uma boa gestão em seu negócio, para não se “perder” na gestão da sua empresa e não deixar essa oportunidade de crescer “fugir” do seu negócio.
Em um mundo globalizado, há uma necessidade constante de fazer uma boa gestão aliada ao saber do uso das novas tecnologias, principalmente em razão da facilidade ao acesso às informações e da popularização da internet em favor de seu negócio; assim como se inovar como empresa em seu segmento, para que desperte sempre a atenção dos clientes em seus produtos.
Outra forma de se expandir nesse segmento, e um dos principais motivos para investir no mercado de confecções, é a expansão do e-commerce de moda. Esse setor e a dos acessórios em lojas virtuais estão se tornando cada vez mais comum em nosso país, pela facilidade do uso da internet, assim como os consumidores estão mais confiantes nesse modelo de compra virtual; além das empresas digitais estarem se aperfeiçoando, o ambiente está cada vez mais seguro e a perspectiva para os próximos anos não poderia ser melhor e aqui já estamos falando também do “mobile commerce”ou “m-commerce” - Mobile Commerce, também conhecido como M-Commerce ou mCommerce, é o comércio eletrônico ou venda online realizada a partir de um dispositivo móvel, como um telefone celular, PDA e Smartphones. Segundo a comScore, as compras através de dispositivos portáteis tem um aumento médio de 30% ao ano nos Estados Unidos.
Com o surgimento dessas novas tecnologias como as redes 3G, Smartphones e outros dispositivos portáteis avançados, é cada vez mais popular o uso de dispositivos móveis para compras na web. Muitas pessoas utilizam seus telefones com dispositivos de conexão à internet, estão aprendendo a fazer suas atividades cotidianas utilizando de tais aparelhos. O número de consumidores que estão substituindo as tradicionais compras on-line pela alternativa móvel vem aumentando a cada dia. É possível que se chegue a um ponto no qual quase todas as transações sejam concluídas a partir de dispositivos móveis.
Agora vamos falar um pouco sobre os segmentos específicos que envolvem esse setor, para que vocês observem o quanto há um mercado para ser explorado e conquistado.
 1 - Moda para Jovens Gestantes:
Puxa! Quantas futuras mamães circulam todos os dias nas ruas! É um mercado em crescimento e segundo alguns especialistas, existem poucas empresas especializadas em produzir essas roupas e os produtos disponíveis não são pensados para essas jovens mamães. São grandes, sem caimento, sem estilo e aquém das tendências de moda seguidas por elas.
2 – Moda para Evangélicos ou Gospel:
Como podemos observar o número de evangélicos no Brasil, vem aumentado a cada ano. Pelos dados do IBGE, em 2010, havia aproximadamente 42 milhões de evangélicos, o equivalente a 22% da população brasileira. Há projeções que indicam que esse percentual tende a aumentar 39% até 2020. Diante desse número, vê-se que o segmento é uma grande oportunidade de negócio; aja vista o segmento do mercado erótico e sensual que criou uma linha de produtos para esse público. Além de outros potenciais consumidores que não são evangélicos, mas procuram produtos mais discretos.
3 - Moda Brechó:
Já tivemos resistência em comprar produtos dessas lojas, não? Pois bem, nos últimos anos houve um crescimento considerável, até por que os custos para investir nesse segmento são baixos, assim como os riscos e a concorrência, também é um segmento de nicho com um público fiel. 
4 - Moda Streetwear:
Esse segmento é voltado para um consumidor mais jovem, que “curtem” o skate, que é um esporte radical; estão intimamente ligados. Esse público também aumentou de forma considerável, 20% entre os anos de 2006 a 2010.
Com as políticas econômicas adotadas nos últimos anos, mais consumidores puderam ter acesso a essa moda e acessórios. A renda dos Skatista tem uma influência muito grande; pois apresentam uma média nacional superior as demais. Aí há um potencial a explorar também.
5 - Moda Country:
Está aí, um segmento que não saí de moda, principalmente nas cidades do interior do Brasil. É outro nicho a ser bem explorado, dado aos inúmeros rodeios que ocorrem no País (entre 1.500 a 2.000), aqui estamos falando em torno de 30 milhões de consumidores. Esses eventos estão intimamente ligados aos shows sertanejos, com consumidores de estilos próprios, jovens, com poder aquisitivo de classe social de média para alta e disposta a gastarem para se manterem “fashion”.
6 -Moda Plus Size ou tamanhos GG/XL:
É um mercado que está em expansão e que cresce 6% ao ano, apesar de não ser muito bem explorado; pois faltam lojas especializadas com produtos e vitrines atraentes e profissionais que saibam lidar com esse público. Segundo dados do Ministério da Saúde divulgados em Abril de 2014, 50, 8% dos brasileiros estão acima do peso; e destes, 17,5% são obesos. A população brasileira está aumento de peso, vejam o potencial.
7 - Moda Sustentável - Sustentabilidade/Moda Ecológica:
Hoje, em um mundo mais que globalizado, os consumidores estão mais conscientes sobre seu papel, seus hábitos e da necessidade de um consumo sustentável, respeitando o meio ambiente; e por essa razão, o comportamento desse consumidor também reflete nesse setor. É um setor bem segmentado, no qual há demanda por produtos mais éticos e/ou recicláveis e que não prejudicam o meio ambiente.  
 O homem no mundo da moda.
Em tempos remotos, falar em moda era falar das mulheres. Hoje essa realidade mudou de forma radical, principalmente no Brasil. Os homens passaram a representar uma boa fatia de consumidores do mercado de confecções e estão mais atentos ao adquirirem roupas, calçados, acessórios e até produtos de beleza. Outro ponto positivo dessa mudança é que a perspectiva é de aumento da participação masculina no setor, vencendo alguns preconceitos. Quem investir nesse nicho definitivamente terá ótimas oportunidades. Já ouviram falar do homem “Metrossexual”? Veja a definição abaixo, vamos aproveitar?
Definição: Metrossexual é uma junção das palavras “metropolitano” (cidade, metrópole) e “sexual”, cujo significado se refere a um homem urbano que se preocupa em cuidar da aparência. O metrossexual gosta de se vestir bem e de estar na moda. Investe em vestuário e acessórios sofisticados, freqüenta cabeleireiros e institutos de beleza, cuida da pele, usam cosméticos, bons perfumes, faz manicure, pedicure, depilação, etc – Google/ https://www.significados.com.br/metrossexual/26/05/17 -.
Então leitores do blog da E.L.A.N.E, viram como o mercado de confecções aliadas as tecnologias tem um impacto direto em nossas vidas e negócios? Não deixem de se atualizarem e façam uma boa gestão!
Caros leitores, por hoje e só! Fica aqui mais uma dica para negócios no setor de confecções.
Abraços e até breve!

M. ICHI.

Comentários

Postagens mais vistas

Dicas de filmes sobre empreendedorismo – Parte II

ROCKFEST, o verdadeiro festival de Rock ‘N’ Roll!

M.G.: Marvel's Avengers - Novo Game da Square Enix

FILMES: VENTOS DA LIBERDADE

Unboxing E.L.A.N.E. #01