Entrevista com Edson Minoru sobre o seguimento Erótico no Brasil

*Eddie & Edson

Boa noiteeeeee


Ontem, na INTÍMI EXPO, entrevistamos nosso grande amigo e parceiro Edson Minoru, que nos disse um pouco sobre sua visão do seguimento erótico no Brasil.

Sem mais delongas, vamos para a entrevista.


" Eddie: Você acha que o seguimento erótico no Brasil, pela visão dos empreendedores, está em declínio?

Edson:  Na verdade, o que os empresários estão sentindo, é o que toda economia brasileira está sentindo; ou seja, está havendo também uma redução no consumo dos produtos eróticos. O que naturalmente se traduz em declínio nas vendas. 

Eddie: Outros países já estão vendo esse nicho aqui no Brasil como uma oportunidade, do seu ponto de vista, o que se pode dizer sobre isso?

Edson.: Em um sistema em que a economia é capitalista, a oportunidade de negócio é de  todos que queiram vender seus produtos. Nesse momento, o que está ocorrendo, é que as empresas estrangeiras identificaram o potencial de consumo no Brasil, e estão vendo a oportunidade para entrar no mercado brasileiro. Estão vindos com novos produtos, com mais qualidades; isso faz com que o consumidor brasileiro fique ávido pelos seus produtos.

Eddie: Os consumidores no Brasil, ainda têm a visão do mundo erótico como sendo de total pornografia?

Edson: Não vejo os consumidores como um todo com essa visão pornográfica,  o que observo é que a pornografia está na “cabeça de alguns”. E é esse o desafio do segmento erótico no Brasil; que é se desvincular da ideia de pornografia desses “alguns”. Os empresários devem divulgar mais seus produtos para a sensualidade, a saúde, a beleza, para o bem estar dos casais, inclusive da terceira idade e deixarem itens como as próteses menos explícitas.

Eddie: O que você acha que pode ser feito para que o segmento erótico tenha um crescimento interno e não acabe colonizado pelas empresas estrangeiras?
Edson:  O segmento no Brasil nesse primeiro momento, deve-se reorganizar e aqui falo de toda a cadeia do mercado erótico (as indústrias, as distribuidoras/revendedoras, o comércio com lojas físicas, os e-commerce’s, as  vendedoras porta/porta), pois no último ano tivemos dois eventos sobre esse mercado, o que acaba confundindo um pouco os empresários e os consumidores finais sobre quais são os objetivos desse eventos - se é para realizar negócios – B2B - ou se é para lazer e vender os produtos para os consumidores finais. Com essa reorganização e mais união, os empresários brasileiros se fortalecerão, ficando mais competitivas em relação às empresas estrangeiras. Em relação ao crescimento, vejo que as empresas brasileiras devem buscar novas parcerias tanto no mercado interno como no externo (exportação), para esporem e venderem os seus produtos. Fazer uma gestão para os clientes apoiarem mais as campanhas sobre educação sexual e a saúde. Os empresários devem inovar.
 Eddie: Se continuar assim, o que você acha que acontecerá com esse mercado?

Edson: Caso não haja nenhuma mudança na forma de gestão e como esses  empresários trabalham com o mercado brasileiro, eles estarão perdendo participação de mercado para as novas entrantes, principalmente para as estrangeiras.
Eddie: Só gostaria de dizer muito obrigado por ceder um pouco de seu tempo, aqui nesse evento, para falar conosco e com nossos internautas. Fico muito grato e espero dialogar mais vezes com você.
Edson: Eu que agradeço e fico a sua disposição."
Esse foi nosso primeiro entrevistado, fiquem ligados para mais entrevistas....
Autor: Eddie

Comentários

Postagens mais vistas

Dicas de filmes sobre empreendedorismo – Parte II

ROCKFEST, o verdadeiro festival de Rock ‘N’ Roll!

M.G.: Marvel's Avengers - Novo Game da Square Enix

FILMES: VENTOS DA LIBERDADE

Unboxing E.L.A.N.E. #01